Psicografia A CALUNIA ME FEZ MATAR

 Pérolas de luz são as palavras de alguém que amamos.

         Flechas pontiagudas são as palavras de um caluniador.

         A calunia é o pior punhal. Mata sem dó e sem piedade, não alcançando só uma pessoa, mas às vezes alcançando uma coletividade.

         Vai se alastrando qual erva daninha em terreno abandonado. Às vezes nem acreditamos em o quê o caluniador fala, mas vem a dúvida: Será verdade?

         Pois bem, aconteceu comigo. Eu vivia tranqüilo em meu lar simples, mas aconchegante. Vivia do meu trabalho humilde. Minha esposa era professora formada em uma escola normal. Ficava em casa e não exercia a profissão. Um dia em que cheguei em casa bem cansado, ela me disse: “eu poderia trabalhar também e ajudar-te a manter nossa casa.” Não tínhamos filhos nossos, mas criávamos um sobrinho já adolescente, filho de uma irmã de minha esposa já falecida. Eu não gostei muito da ideia, mas ela fez com que eu cedesse a sua vontade.

         Ela começou a trabalhar como uma professora substituta no colégio próximo a nossa casa.

         Trazia para casa os trabalhos dos alunos. Às vezes eu me aproximava dela e ela me dizia estar ocupada, outras vezes estar cansada.

         Começou pegando outros horários também, por falta de outra professora que estava em licença maternidade.

          Pois bem, em minha mente ciumenta eu comecei a interrogar comigo mesmo: “O que estava acontecendo? Alguma coisa estava errada…”.

         Tinha um colega meu de serviço que muitas vezes conversávamos e eu expus a ele minha duvida e lê me disse: “Quando mulher faz isso, se afasta de casa e do marido é porque existe outro…”.

         Eu fiquei paralisado e comecei a argumentar em minha mente: “Existe outro homem nos atrapalhando.”.  

         Um dia cheguei em casa mais cedo e ouvi vozes dentro da área de serviço.

         Vi uma cena constrangedora. Um homem com minha mulher. Ela estava abaixada e ele com braço sobre as suas costas. Eu tive o ímpeto de estrangulá-los, mas não fiz isso. Fui dentro do quarto, tirei o revolver e os matei e em seguida me suicidei.

         Oh! Atrocidade. Oh! Infortúnio.

          Sofri horrores. Vampiros e fantasmas me assediavam, meu corpo foi devorado por eles e eu estava vivo.

         Vi quando chegou o carro da polícia e o carro da funerária para levar nossos corpos.

          Alguém disse: “É Sr. José o bombeiro!”. Quando chegou a esposa do tal Sr. José fiquei sabendo.

         Sr. José pai de um aluno dela foi em nossa casa para consertar o encanamento na área  que estava entupido e transbordando. A hora que cheguei ele apontava para minha mulher o local do entupimento.    

         Oh tristeza, se Deus me permitisse voltar atrás eu voltaria. Por que me Deus?

        Uma pessoa apenas insinuou o adultério de minha esposa. E ela leal e sincera nunca me traiu, sempre me amou. Não tiveram culpa, nem ela nem Sr. José.

        Hoje sofro horrores, mas tenho muita fé em Deus que irei pagar por meu crime que foi abrandado pela misericórdia de Deus.

        Tenho que voltar e corrigir meu erro.

        Deus me ajude. Obrigado.   

          

         Antônio Moreira.

                                                           

 Psicografia recebida em 2018.                                     


 Médium: Catarina.

Fonte: CARTAS ESPÍRITAS – PSICOGRAFIA MEDIÚNICA

Psicografia A CALUNIA ME FEZ MATAR

 

Facebook Comments